PROJETO DE APRENDIZAGEM - OPERAÇÕES E LOGÍSTICA

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO









PROJETO DE APRENDIZAGEM

OPERAÇÕES E LOGÍSTICA








ALFREDO OLIVEIRA
CLÉO DA BOIT MARTINELLO
FERNANDO DOS SANTOS
ROGER BARBOSA OLIVEIRA
RUIMAR NUNES SOARES




São Leopoldo
2008
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 3
1 SITUAÇÃO PROBLEMA 6
1.1 BREVE DESCRIÇÃO DO CENÁRIO ENCONTRADO NA CIDADE DE CANOAS (RS) 6
1.2 SÍNTESE DAS ENTREVISTAS 7
1.3 ANÁLISE DOS ASPECTOS DEMOGRÁFICOS DA CIDADE DE CANOAS (RS) 10
1.4 ANÁLISE DAS OPORTUNIDADES DE MERCADO 12
1.5 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA 14
1.6 PERFIL DO PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA 15
2 ELABORAÇÃO DA QUESTÃO PROBLEMA 21
3 ELABORAÇÃO DO OBJETIVO 22
4 ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO 23
5 REFERENCIAL TEÓRICO 24
5.1 BREVE HISTÓRICO DO TRANSPORTE 24
5.2 LOGÍSTICA: SISTEMA DE TRANSPORTE 25
5.2.1 Logística – o sistema de transporte como um diferencial agregando valor ao produto 25
5.2.2 O transporte como um dos fatores que influenciam no nível de competitividade de uma empresa 27
5.2.3 As principais modalidades de transporte utilizadas no processo logístico brasileiro 28
6 SÍNTESE DAS “NOVAS ENTREVISTAS” 34
7 ANÁLISE DO OBJETIVO/PROBLEMA 36
8 CONCLUSÃO 39
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 41



INTRODUÇÃO
Atualmente, a logística é considerada um fator importante na estratégia competitiva das empresas, pois é o setor responsável por todo o processo logístico organizacional, que compreende desde a aquisição da matéria-prima até a entrega do produto ao consumidor final.
A origem do conceito de logística está ligada às operações militares, quando havia a necessidade de qualquer tipo de deslocamento para o campo de batalha. Inicialmente, a logística nas empresas era vista como um setor de apoio aos processos de armazenagem, estoque e transporte, sem agregar nenhum valor ao produto, sem maiores implicações estratégicas e de geração de negócios (NOVAES, 2004).
Com a evolução do sistema produtivo e do comércio o conceito de logística passou por uma reformulação, pois assim passou a agregar valor de lugar, de tempo, de qualidade e de informação à cadeira produtiva. Além de agregar os fatores mencionados ao consumidor final, a logística moderna procura também eliminar do processo tudo que não tenha valor para o cliente, ou seja, tudo que acarrete custos e perda de tempo. A logística ainda compreende elementos humanos, materiais (prédios, veículos, equipamentos, computadores), tecnológicos e de informação (NOVAES, 2004).
Segundo Novaes (2004, p. 35), com base no Council of Logistics Manegement norte-americano, logística é o
processo de planejar, implementar e controlar de maneira eficiente o fluxo e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associados, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor.
Neste sentido, o processo de logística atual, conforme Novaes (2004, p. 37), procura incorporar:
• Prazos devidamente acertados e cumpridos integralmente, ao longo de toda a cadeia de suprimentos.
• Integração efetiva e sistêmica entre todos os setores da empresa.
• Integração efetiva e estreita (parcerias) com fornecedores e clientes.

• Busca da otimização global, envolvendo a racionalização dos processos e a redução de custos em toda a cadeia de suprimento.
• Satisfação plena do cliente, mantendo nível de serviço preestabelecido e adequado.
Diante deste contexto, pretende-se, inicialmente, com o desenvolvimento deste Projeto de Aprendizagem mostrar uma visão da carreira e do perfil do profissional de logística e, posteriormente, tendo como foco de pesquisa uma situação problema referente às principais modalidades de transporte utilizadas na área de logística no Brasil.
Os integrantes do grupo são jovens iniciantes no curso de Administração, na sua maioria cursando o 1º semestre, que atuam em atividades na área administrativa das empresas onde trabalham, sendo que a maioria tem conhecimentos na parte de produção.
A elaboração deste estudo compreende investigação e pesquisa para a aquisição de conhecimento sobre uma determinada área da Administração. A escolha pela temática de logística deve-se ao fato de que os integrantes desta pesquisa têm interesse em direcionar suas atividades profissionais futuras neste setor, sendo assim uma oportunidade de explorar conceitualmente e visualizar na prática alguns aspectos relacionados à área.
O curso de Administração, de acordo com sua ênfase, prepara os alunos para vivenciar e administrar o objetivo das empresas, gerenciar pessoas e demais atividades administrativas. O ramo da logística promove a participação do profissional de logística nas demais áreas da empresa, tornando as suas atribuições bastante diversificadas.
Além disso, para complementar, o grupo entende que a logística não é um setor isolado dentro das empresas, pois atualmente o que se percebe e constatou-se ao longo do desenvolvimento do trabalho a integração e parceria entre este e os demais setores. Na prática, a questão do produto certo, na hora certa, com custo competitivo e qualidade no processo de logística são fatores relevantes para a competitividade das empresas.
O desenvolvimento deste Projeto de Aprendizagem na área de Logística proporcionará ao grupo algumas competências, como: capacidade de formular uma questão problema e respondê-la, através de um processo investigativo de pesquisa; confrontar a questão teórica do assunto com a questão prática, estabelecendo uma visão crítica do tema em estudo; capacidade de organizar e desenvolver trabalho em equipe; cumprimento de cronograma e prazos de entrega de material entre os componentes do grupo; desenvolvimento de conceitos e aplicação sobre comunicação e relacionamento inter-pessoal.
As informações para a elaboração deste estudo foram coletadas em livros, jornais, sites e complementadas com entrevistas com profissionais da área de logística.


1 SITUAÇÃO PROBLEMA
Este capítulo apresenta uma breve descrição do cenário encontrado na cidade pesquisada, síntese da entrevista, análise dos aspectos demográficos da cidade, análise das oportunidades de mercado, descrição das áreas de atuação do profissional da área de logística e o perfil deste profissional, destacando as competências necessárias, os principais conhecimentos, habilidades e atitudes. Na seqüência, a elaboração da questão problema, o objetivo da pesquisa e o plano de ação, o referencial teórico, síntese de outras entrevistas, análise do objetivo/problema, conclusão e, por fim, as referências bibliográficas.
1.1 BREVE DESCRIÇÃO DO CENÁRIO ENCONTRADO NA CIDADE DE CANOAS (RS)
Com base nas informações divulgadas no site oficial da cidade de Canoas (RS) e outras fontes, o município foi fundado em 1939 e possui, atualmente, o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho. Vizinha da capital Porto Alegre, a cidade é sede de grandes empresas nacionais e multinacionais, como a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), Springer Carrier e AGCO do Brasil, além de nomes fortes nos ramos de gás, metal-mecânico e elétrico.
A educação desponta como novo setor. A cidade tem a segunda maior rede de ensino do Estado. São escolas públicas, particulares, uma universidade e dois centros universitários.
O crescimento econômico da cidade deu-se, principalmente, a partir de 1945, depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Além de numerosas indústrias, instalaram-se no município a Base Militar da V Zona Aérea e a Refap, impulsionando o desenvolvimento da cidade.
A economia de Canoas é bastante desenvolvida, há a presença de grandes nomes da indústria mundial e brasileira instalados no município, já citadas anteriormente. O parque industrial de Canoas é um dos maiores e mais importantes do Estado. Pequenas, médias e grandes empresas fabricam no município os mais variados produtos, desde máquinas pesadas até os mais delicados instrumentos cirúrgicos.

O comércio do município é aquecido pelo grande fluxo de pessoas em locais como o centro da cidade e os shoppings. Conta com cerca de 5,5 mil estabelecimentos comerciais, com ampla variedade e grande participação no mercado da Região Metropolitana. Atualmente, o segmento é responsável por 24% das receitas.
A base econômica de Canoas está distribuida da seguinte forma:
• Indústria: 65%
• Comércio: 23%
• Serviços: 8%
• Agropecuária: 4%
Diante deste contexto, cabe destacar que identifica-se a cidade pesquisada como um bom espaço para os profissionais da área de logística atuar, pois organizações nacionais e multinacionais estão instaladas na cidade e sendo assim, há a necessidade destas se organizarem logisticamente desde a aquisição da matéria-prima até o consumo final do produto e/ou serviço oferecido. Além disso, algumas empresas destinam seus produtos para exportação, necessitando de profissionais qualificados e preparados para atender o mercado e o processo logístico internacional.
Portanto, observa-se que este cenário é bastante favorável aos atuais e futuros profissionais da área de logística considerando que a base econômica do município concentra-se na indústria tendo um parque industrial bem diversificado, proporcionando acesso a diferentes segmentos de atuação.
1.2 SÍNTESE DAS ENTREVISTAS
ENTREVISTA 1:
O profissional da área de Logística entrevistado respondeu às questões relacionadas à área de atuação, competências, mercado e faixa salarial da área, conforme apresentam-se a seguir:

Áreas de atuação do Administrador em Logística: As principais atuações do profissional de logística estão nas áreas de:
• Armazenagem.
• Planejamento.
• Almoxarifado.
• Gestão dos Centros de Distribuição.
• Fluxo de entrada e saída de produtos.
• Transportes e Integração.

Competências necessárias ao Administrador em Logística: As competências necessárias são:
• Conhecimentos técnicos em planejamento e otimização.
• Conhecimentos práticos e teóricos sobre processos.
• Relação empresa-cliente e empresa-fornecedor.
• Fluência em outro idioma.

Como está o mercado em relação ao profissional Administrador em Logística: O mercado é amplo, devido à grande expansão da área principalmente em relação às empresas que buscam melhor competitividade no mercado e a falta de profissionais formados e capacitados.

Média salarial do profissional na área de Logística: Varia muito de acordo com o nível do profissional, do porte da empresa e de sua qualificação na área, mas os salários são bastante atrativos.
Iniciam em torno de R$1.000,00 para trainees e em torno de R$3000,00 para analistas. Já no nível gerencial a média salarial é de R$8.000,00 e diretores podem ter ganhos em média de R$20.000,00.

ENTREVISTA 2:
O profissional da área de Logística Internacional entrevistado, que atua numa empresa especializada no agenciamento marítimo de cargas, respondeu às questões relacionadas à sua área de atuação, principais competências necessárias, mercado e faixa salarial da área, conforme apresentam-se a seguir:
Áreas de atuação do Profissional: As principais atuações compreendem:
• Elaboração comercial de frete marítimo para o angariamento de cargas.
• Cotações e reservas com o armador .
• Negociação de valores de fretes.
• Acompanhamento da operacionalização de embarque e de seus documentos.
• Administrar dados, como prazo de embarque, quantidade, cancelamentos, etc. de acordo com as solicitações do cliente.
• Acompanhamento e avaliação dos embarques realizados.
• Contato com clientes.
• Dentre outras.

Competências necessárias para desenvolver suas atividades: As competências necessárias compreendem:
• Conhecimentos técnicos das rotinas do comércio internacional ligadas ao processo de exportação e importação.
• Conhecimento sobre documentos destes processos.
• Boa relação com clientes.
• Habilidade de negociação.
• Domínio escrito e falado do idioma inglês e espanhol.

Como está o mercado para o profissional da área de Logística Internacional: O mercado para este profissional é bastante promissor, tendo em vista que muitas empresas de pequeno, médio e grande porte estão se inserindo ou estão inseridas no processo de internacionalização e, em algum momento, há a necessidade de utilizar-se de recursos logísticos de transporte internacional para realizar a sua exportação ou importação.

Média salarial deste profissional, que atua como Assistente Comercial, na área de Logística Internacional, relacionado ao transporte marítimo: A média de salário varia de 2.500,00 a 3.500,00 dependendo do nível do profissional e porte dos armadores.
1.3 ANÁLISE DOS ASPECTOS DEMOGRÁFICOS DA CIDADE DE CANOAS (RS)
O município de Canoas, localizado no Estado do Rio Grande do Sul, situado na região metropolitana de Porto Alegre, faz divisa com as cidades de Cachoeirinha, Nova Santa Rita, Esteio e Porto Alegre. Com um território de 131.097 Km², tem altitude de 8 metros acima do nível do mar. É bem diversificado, com paisagem predominante urbana, conta com muitas indústrias, em seu território, além de uma universidade e dois centros universitários.
Segundo os dados mais recentes do IBGE, a cidade de Canoas em 2007, contava com uma população de 326.458 habitantes, sendo o 4º maior município do Estado em população. O PIB do município é elevado, atingindo o 2º lugar no Estado. A taxa de analfabetismo é baixa, cerca de 3,23% dos canoenses.

Gráfico 1: Crescimento Populacional de Canoas (RS)
Fonte: dados do IBGE



Gráfico 2: Composição da Economia de Canoas (RS)
Fonte: Dados do IBGE

Considerando a localização da cidade de Canoas (RS), próxima a capital do Estado, observa-se um município favorável à atuação do profissional de logística, pois, além disso, a economia é composta por 65% de atividades relacionadas à indústria e 23% ao comércio, o que demonstra a necessidade das empresas em ter um processo logístico integrado desde a aquisição da matéria-prima até o consumidor final.
Dessa forma, surge também a necessidade de profissionais preparados e competentes para auxiliar na busca de soluções e controles logísticos que atendam as necessidades da empresa e dos clientes, visando redução de custos, agregação de valor ao produto e rentabilidade.
Conforme mencionado anteriormente o PIB do município é elevado, estando em 2º lugar entre os municípios gaúchos, demonstra também certa credibilidade e confiança aos possíveis investidores na cidade, o que gera maior renda e lucratividade aos órgãos públicos, gerando benefícios à população de uma maneira geral.
1.4 ANÁLISE DAS OPORTUNIDADES DE MERCADO
Apresentam-se na tabela abaixo, a partir de pesquisa em sites de divulgação de vagas e jornais, as seguintes oportunidades de trabalho na área de logística, verificadas na cidade de Canoas (RS).
Oportunidades de trabalho na área de Logística na cidade de Canoas (RS)
Cargo Nº de vaga(s)
Assistente de logística 6
Auxiliar de logística 36
Coordenador de logística 2
Programador de frota 6
Encarregado de logística 1
Fonte: www.carreerjet.com.br

Cargo Nº de vaga(s)
Encarregado de logística 2
Supervisor de logística 1
Fonte: www.brasil.trovit.com

Cargo Nº de vaga(s)
Estoquista 18
Auxiliar de depósito 3
Supervisor de logística 1
Fonte: Jornal Vale dos Sinos (VS)
Cargo Nº de vaga(s)
Auxiliar de depósito 1
Estoquista 13
Supervisor de Logística 3
Fonte: www.manager.com.br

Quadro 1: Oportunidades de trabalho na área de Logística na cidade de Canoas (RS)
Fonte: elaborado pelos autores

Diante do quadro apresentado acima, cabe comentar que o profissional administrador especializado na área de logística, conta com uma ampla área de atuação no mercado de trabalho, e atualmente existem mais vagas disponíveis do que profissionais qualificados para ocupá-las. Este é um setor muito promissor que vem crescendo cada vez mais, portanto um bom profissional de logística que estiver bem atualizado e principalmente ter o domínio de uma língua estrangeira, terá muitas oportunidades de emprego.
Quanto ao perfil exigido pelas vagas mencionadas no quadro acima, como exemplo, pode-se destacar o seguinte:
PERFIL EXIGIDO PELAS VAGAS NA ÁREA DE LOGÍSTICA
ASSISTENTE DE LOGÍSTICA
ESCOLARIDADE: cursando nível superior
EXPERIÊNCIA: 2 anos na área
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: conhecimento em acompanhamento de viagem, programação de cargas, escala de motoristas e ajudantes, controle diversos, rotinas em geral de transportadora.
MÉDIA SALARIAL: R$800,00
AUXILIAR DE LOGÍSTICA
ESCOLARIDADE: Ensino médio
EXPERIÊNCIA: Ter trabalhado antes com expedição, estoque, reposição e carga e descarga.
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: Expedição, estoque, reposição, carga e descarga.
MÉDIA SALARIAL: R$600,00
COORDENADOR / SUPERVISOR DE LOGÍSTICA
ESCOLARIDADE: superior completo com ênfase em Logística
EXPERIÊNCIA: Desejável ter experiência no segmento de atuação da empresa.
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: Atuação no departamento de Logística. Planejar, supervisionar e controlar todas as movimentações de produtos e materiais, que envolvem a distribuição física nacional, compreendendo as áreas de recebimento, armazenagem, faturamento e Expedição. Fazer a gestão do contrato de prestação de serviços junto ao Operador de Logístico, objetivando cumprir todas as cláusulas contratuais. Administrar contratação e negociação de fretes/ transportes. Interagir na área de Pós Vendas. Atender auditoria interna e externa específica para execução de inventários.
MÉDIA SALARIAL: R$5.000,00
PROGRAMADOR DE FROTA
ESCOLARIDADE: Cursando nível superior em Administração
EXPERIÊNCIA: Entre 1 e 3 anos
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: Realizar a programação alocando frota própria e/ou agregada, visando a melhor produtividade e resultado da operação. Adequar volume de cargas visando o menor custo, dentro das possibilidades e necessidades de entrega. Orientar e monitorar os motoristas com relação as suas atribuições. Garantir que o transporte aconteça conforme programação realizada. Garantir o cumprimento dos processos de preparação da frota para carregamentos - documentação, limpeza, check list, etc.
MÉDIA SALARIAL: R$1.000,00 a R$1.500,00
ESTOQUISTA
ESCOLARIDADE: Ensino Médio
EXPERIÊNCIA: experiência como estoquista, conhecimento com inventários, perecíveis e mercearia.
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: Realizar processo de estocagem e armazenamento.
MÉDIA SALARIAL: R$700,00
AUXILIAR DE DEPÓSITO
ESCOLARIDADE: Desejável estar cursando 2o grau.
EXPERIENCIA: Experiência em depósito: carga, descarga, conferência, reposição de mercadorias.
ATRIBUIÇÕES DO CARGO: carga, descarga, estocagem e afins.
MÉDIA SALARIAL: 1 salário mínimo
Quadro 2: Perfil exigido pelas vagas na área de logística
Fonte: elaborado pelos autores com base nos sites e jornais citados anteriormente
1.5 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA
Com base na entrevista com o profissional da área de logística, destacam-se as seguintes áreas de atuação: armazenagem, planejamento, almoxarifado, Gestão dos Centros de Distribuição, fluxo de entrada e saída de produtos, transportes e integração.
Além destas, tendo como base de fonte de pesquisa o site Brasil Profissões (2008), o profissional da logística também pode atuar em outras áreas, entre elas estão:

• Logística empresarial: visa melhorar a rentabilidade na distribuição, através de planejamento e controle de fluxo dos produtos.
• Supply Chain Management (Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos): integração dos processos de negócio até o usuário final.
• Logística internacional: analisa o comercio internacional e avalia condições de transporte e distribuição, além de analisar a rentabilidade.
• Logística e marketing: procura enquadrar a logística nas estratégias de marketing.
• Projetos de embalagens: projeção de embalagens seguindo os conceitos da logística.
• Assessoria em terceirização: estratégia na contratação de serviços logísticos.
• Sistema de previsão de demanda: previsão de demanda para auxilio na tomada de decisões logísticas.
• Simulação de operações: explora o uso da tecnologia da informação, através de simulações que visam melhorias.
• Desenvolvimento de softwares de apoio logístico: serviços logísticos baseados em compartilhamento das informações.
Complementando a as áreas já mencionadas pode-se destacar também:
• Administração de Estoque.
• Assessoria de Compras.
• Assessoria de Estoques.
• Assessoria de Materiais.
• Catalogação de Materiais.
• Codificação de Materiais.
• Controle de Materiais; Estudo de Materiais.
• Logística e distribuição internacional.
• Controle de Produção.
• Orçamento e Procura de Materiais.
• Planejamento de Compras.
• Gestão da cadeia de Suprimentos.
• Planejamento da localização e transporte.
• Planejamento e organização do sistema de distribuição.
1.6 PERFIL DO PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA
Segundo o site Brasil Profissões (2008), o profissional de logística é responsável por fornecer todos os recursos para a execução das atividades da empresa, bem como transporte, materiais, armazenamento de mercadorias, processamento de pedidos, armazenamento de informações, etc.
O setor de logística tem como atribuição planejar, implementar e controlar o fluxo e armazenamento eficiente e econômico das matérias-primas e da produção, bem como deter todas as informações referentes, além de ser responsável pelo planejamento da distribuição, controlando tudo, da produção ao consumo.
Cabe destacar ainda que a logística é dividida em dois tipos de atividades: as principais, que englobam os serviços de transportes, manutenção de estoques e processamento de pedidos; e as secundárias, que englobam armazenagem, manuseio de materiais, embalagens, suprimentos, planejamentos e sistemas de informação.
Segundo o site Brasil Profissões (2008), as principais atividades do profissional de logística compreendem:
• Organizar a parte de logística da empresa.
• Prestar consultoria.
• Gerenciar o sistema de informações e recursos.
• Gerenciar o setor de suprimentos da empresa, que podem ser tanto internos, como matérias-primas para a produção, sempre visando o menor custo.
• Analisar a rentabilidade dos negócios a serem feitos e maneiras de maximizar os lucros.
• Simular distribuições para elaborar formas de aumentar a rentabilidade.
• Produzir relatórios de controle de riscos nos negócios.
• Organizar aspectos relacionados com a produção.
• Gerenciar transportes das mercadorias com o menor custo possível.
• Processar os pedidos.
• Controlar o armazenamento da produção.
• Organizar o sistema de embalagens.
• Planejar uma estratégia de distribuição que valorize o produto distribuído, e ao mesmo tempo seja eficiente e econômico.
• Definir os pontos de distribuição das mercadorias, segundo as características do produto.
• Controlar os pagamentos e recebimentos referentes a distribuição de mercadorias.
• Realizar a entrega do produto ou serviço no dia e na hora combinada.
• Elaborar estratégias de diminuição de gastos.
Com base na entrevista realizada com o profissional da área, consulta aos sites Administradores (2008) e Brasil Profissões (2008), e através do conteúdo abordado em sala de aula, apresenta-se o perfil do profissional de logística destacando suas competências, habilidades, conhecimentos e atitudes para o desenvolvimento de suas atividades.
O profissional que atua nesta área deve ter como competências: a capacidade de analisar, organizar e efetuar as operações de logística bem como, recepção, codificação, armazenagem, movimentação, expedição e inventariar mercadorias, assegurando o adequado funcionamento do sistema de abastecimento da unidade produtiva para o perfeito fluxo de serviços, matérias-primas ou produtos.
Além destas competências citadas acima, pode-se destacar:
• Capacidade de analisar e compreender a realidade interna e externa das organizações, organizando a partir delas políticas e práticas de estoque, de compras, de distribuição, etc.
• Capacidade de assumir raciocínio lógico, crítico e analítico nas tarefas de planejamento, organização, direção e controle, principalmente as vinculadas às estratégias de logística e operações.
• Capacidade de executar e comparar orçamentos, indicando os mais vantajosos para a organização.
• Capacidade de compreender a cadeias produtiva da organização, projetando e organizando as compras, os processos e a distribuição dos produtos e/ou serviços.
• Capacidade de analisar criticamente a produção, estabelecendo indicadores de desempenho que possam resultar no acompanhamento e avaliação do processo.
• Capacidade de propor melhorias a estrutura de produção, evitando “gargalos” e “quebras” no processo produtivo.
• Capacidade de analisar o cenário externo e interno da organização, bem como suas necessidades de recursos materiais e humanos, de maneira a propor soluções para a sua localização e para a política de transporte e distribuição.
• Capacidade de analisar materiais e sua relação custo-benefício em relação a mercado e a produção da organização em si.
• Capacidade de estabelecer comunicação interpessoal e expressar-se corretamente, verbalmente e por escrito.
O profissional de logística é necessário ter os seguintes conhecimentos:
a) Domínio da Língua Portuguesa.
b) Conhecimento técnico englobando tanto as operações logísticas como as demais atividades da organização no âmbito da Administração.
c) Procedimentos de recepção e expedição de mercadorias.
d) Documentação utilizada no funcionamento da empresa.
e) Informática enquanto usuário, no que se refere a equipamentos e aplicativos específicos das áreas comercial e logística, pois são ferramentas essenciais no processo de planejamento, gestão e gerenciamento de informações do processo logístico.
f) Inventários.
g) Equipamentos e maquinaria de armazém.
h) Produtos e suas características.
i) Manuseamento, armazenamento e conservação de produtos ou mercadorias.
j) Segurança, higiene e saúde aplicativos a atividade profissional.
Como conhecimentos complementares destacam-se os seguintes itens:
a) A distribuição no comércio e na atividade econômica.
b) A atividade e o funcionamento comercial das empresas.
c) Organização do trabalho, como planejamento, organização, adaptação e controle das ações nas empresas.
d) Comunicação na empresa.
e) Língua inglesa.
f) Gestão de Recursos Humanos.
No que se refere às habilidades deste profissional compreendem:
a) Aplicar as técnicas de organização do trabalho no desenvolvimento de sua atividade.
b) Identificar e utilizar os documentos referentes à atividade.
c) Aplicar as técnicas de manuseamento, armazenagem e conservação de mercadorias.
d) Aplicar as normas de segurança, higiene e saúde da atividade comercial e logística.
e) Utilizar equipamentos e os maquinários necessários adequados ao funcionamento.
f) Utilizar os equipamentos informáticos e aos aplicativos das áreas comercial e logística específicas da sua atividade.
g) Aplicar os devidos procedimentos de carga e descarga.
h) Aplicar os devidos procedimentos de codificação, registro e etiquetagem.
i) Aplicar os procedimentos de devolução de mercadorias.
j) Aplicar as técnicas de acondicionamento, e embalamentos de mercadorias de acordo com suas devidas especificações.
k) Aplicar os procedimentos de elaboração de inventários.
l) Identificar as características dos produtos manuseados.
m) Comunicação e relações inter-pessoais.
Quanto às atitudes e comportamentos do profissional de logística destacam-se:
a) Capacidade de organização.
b) Visão de projeto.
c) Visão sistêmica de compreensão dos processos logísticos como um sistema inter-relacionado com outras áreas da empresa.
d) Responsabilidade.
e) Raciocínio rápido.
f) Facilidade de coordenação de equipes.
g) Facilidade de comunicação com os colaboradores e equipe.
h) Bom relacionamento inter-pessoal.
i) Pró-atividade.
j) Dinamismo.
k) Criatividade.
l) Agilidade.
m) Metodologia.
n) Habilidade para resolver situações adversas.
o) Flexibilidade nas negociações internas e externas da área.
p) Habilidade com os números.



2 ELABORAÇÃO DA QUESTÃO PROBLEMA
A elaboração da questão problema, diante do contexto e das informações apresentadas neste estudo, tem como objetivo definir um foco de pesquisa dentro da área estudada, ou seja, a área de logística.
A situação problemática, apresentada através da formulação da questão problema, permite nortear os pesquisadores (alunos) quanto ao processo inicial de construção da pesquisa. Portanto, a questão problema da pesquisa torna-se um facilitador para identificar de maneira efetiva o que se deseja pesquisar, apresentando, posteriormente, uma leitura seqüencial e estruturada.
Neste sentido, considerando que dentre as atividades da logística estão o processamento de pedidos, movimentação de materiais diversos, armazenamento, transporte e gerenciamento de dados, o presente estudo tem a seguinte questão problema de pesquisa:
Quais as principais modalidades de transporte utilizadas na área de logística no Brasil?


3 ELABORAÇÃO DO OBJETIVO
O objetivo da pesquisa, de uma maneira geral, define o propósito da pesquisa. A definição de um objetivo de pesquisa permite orientar os pesquisadores (alunos) a responder a questão problema de pesquisa formulada. Desse modo, este estudo tem como objetivo de pesquisa:
Apresentar as principais modalidades de transporte utilizadas na área de logística no Brasil.




4 ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO
No plano de ações, descrevem-se as ações que se pretende desenvolver para responder a questão problema do estudo e, assim cumprir o objetivo do Projeto de Aprendizagem proposto na área de Logística. Portanto, as ações pretendidas compreendem:
• Apresentar o conceito de Logística, considerando o sistema de transporte como um diferencial agregando valor ao produto oferecido.
• Descrever a importância do transporte entre os fatores que influenciam o nível de competitividade de uma empresa.
• Apresentar e conceituar as principais modalidades de transporte utilizadas no processo logístico brasileiro.

5 REFERENCIAL TEÓRICO
Neste capítulo, tem-se a pesquisa bibliográfica com a apresentação de um breve histórico sobre transporte, após, os principais conceitos relacionados à logística e ao sistema de transporte como um diferencial que agrega valor ao produto, o transporte como um dos fatores que influenciam no nível de competitividade de uma empresa e os principais meios de transporte utilizados no processo logístico brasileiro, como forma de atender ao objetivo proposto deste estudo de aprendizagem, focando na atividade logística de transporte.
5.1 BREVE HISTÓRICO DO TRANSPORTE
O transporte é a parte da logística que tem como atividade a movimentação de produtos, materiais e pessoas, através de diferentes modais de transporte existentes. Cabe ressaltar que o foco deste estudo é o deslocamento de cargas em geral, ao longo da cadeia de distribuição.
Segundo Faria (2001), a palavra “transporte” tem origem no latim e significa mudança. Assim, transportar é conduzir, levar pessoas ou cargas de um lugar para o outro.
Rodrigues (2005, p. 17), ressalta que “nos primórdios da Humanidade todos os pesos eram transportados pelo próprio Homem, de acordo com a sua limitada capacidade física”. No processo de troca de mercadorias (escambo), alguns animais foram domesticados e utilizados para ampliar a capacidade de transporte. Com a necessidade, o Homem inventou a roda e construiu veículos, que puxados por animais domésticos, multiplicava a capacidade da carga transportada. Ao longo do tempo, em decorrência da dificuldade nas negociações de troca e com a introdução do dinheiro, surgiu a necessidade de aprimoramento dos veículos com diferentes velocidades e capacidades de carga.
Já os povos ribeirinhos e litorâneos lidavam com outro tipo de problema: a transposição das águas. Tanto para o transporte de pessoas como de cargas, aprenderam a construir jangadas, barcos de papiro, juncos e outras embarcações rudimentares movidas pela força dos braços (remos) e impulsionadas pelo vento (vela) (RODRIGUES, 2005).
Conforme Rodrigues (2005), a invenção da máquina a vapor e a substituição da madeira pelo aço, durante a Revolução Industrial, possibilitaram a construção de embarcações cada vez maiores, barateando os custos do transporte sobre as águas.
No início do século XX, após a consolidação das máquinas voadoras mais pesadas que o ar passou-se a transportar mercadorias também via aérea, quando havia a necessidade de rapidez no transporte considerando a relação custo x benefício (RODRIGUES, 2005).
Diante deste contexto, observa-se que, desde as economias primitivas até as economias atuais, as atividades relacionadas ao transporte de mercadorias ou produtos são essenciais para o bom andamento econômico da sociedade. Inicialmente, as atividades econômicas aconteciam de modo local ou regional, porém com a expansão dos recursos logísticos estas, atualmente, atuam de maneira economicamente globalizada, atingindo diferentes locais, tanto nacionais quanto internacionais.
5.2 LOGÍSTICA: SISTEMA DE TRANSPORTE
A logística compreende um conjunto de atividades que está relacionada com o processamento de pedidos, movimentação de materiais diversos, armazenamento, transporte e gerenciamento de dados.
Neste sentido, apresentam-se alguns conceitos relacionados à sistemática do transporte, sendo este considerado uma das principais atividades logísticas das organizações.
5.2.1 Logística – o sistema de transporte como um diferencial agregando valor ao produto
Na atividade logística, o transporte pode ser um diferencial que agrega valor ao produto à medida que se preocupa em organizar, planejar, armazenar e controlar o deslocamento deste, desde a aquisição da matéria-prima até o consumidor final, utilizando-se de uma sistemática de transporte com efetiva qualidade, com o objetivo de satisfazer o cliente.
Segundo Ballou (1995), a logística empresarial estuda como a administração pode prover melhor nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e consumidores, através de planejamento, organização e controle efetivos para as atividades de movimentação e armazenagem que visam facilitar o fluxo de produtos.
A definição acima identifica as atividades primárias da logística, ou seja, processamento de pedidos, manutenção de estoques e transporte, formando o ciclo crítico de atividades logísticas, representado pela ilustração a seguir:













Figura 1: Relação entre as três atividades logísticas primárias para atender clientes – o “ciclo crítico”
Fonte: Ballou (1995, p. 25)

Portanto, este subcapítulo tem como objetivo apresentar o sistema de transporte como um diferencial para agregar valor ao produto oferecido pelas empresas.
O transporte representa o elemento mais importante do custo logístico na maior parte das empresas. É essencial, pois nenhuma moderna organização pode operar sem providenciar a movimentação de suas matérias-primas ou de seus produtos acabados de alguma forma. Sua importância é sempre salientada pelos problemas financeiros colocados para muitas empresas quando carreteiros autônomos paralisam suas atividades devido a aumento de combustíveis, por exemplo. Assim, os mercados não podem ser atendidos e produtos permanecem no canal de distribuição deteriorando-se (BALLOU, 2005).
O transporte refere-se aos vários métodos para se movimentar produtos. As alternativas mais comuns são os modos rodoviário, ferroviário e aeroviário. Destaca-se que a administração da atividade de transporte geralmente envolve decidir-se quanto ao método de transporte, aos roteiros e à utilização da capacidade dos veículos (BALLOU, 2005). Cabe comentar que as principais modalidades de transporte são apresentadas, com maior detalhamento, na seção 5.2.3.
5.2.2 O transporte como um dos fatores que influenciam no nível de competitividade de uma empresa
Atualmente, a logística é considerada uma ferramenta importante na estratégia competitiva das empresas, pois é responsável pelo processo logístico, que compreende desde a aquisição da matéria-prima até a entrega do produto ao consumidor final. Portanto, observa-se, que o transporte é o elemento mais visível da cadeia logística e está fortemente relacionado a prestação de um serviço ao cliente, sendo que este visa qualidade, agilidade no atendimento e serviço oferecido e preço.
A logística é vital para a economia e para a empresa, pois consiste em um fator fundamental para incrementar o comércio regional e internacional. “Sistemas logísticos eficiente e eficazes, ao permitir a redução do custo final dos produtos, significam um melhor padrão de vida a toda sociedade” (LARRAÑAGA, 2003, p. 34).
Conforme Ballou (1995), um melhor sistema de transportes contribui para:
a) Aumentar a competição no mercado: os custos de produtos postos em mercados mais distantes podem ser competitivos com aqueles de outros produtores que vendem nos mesmos mercados. Incentiva a concorrência direta. Coloca no mercado bens que não são produzidos localmente.
b) Garantir a economia de escala na produção: Mercados mais amplos permitem economias de escala na produção. Com o maior volume providenciado por esses mercados, pode-se utilizar as facilidade de produção e especialização no trabalho. Além disso, transporte barato permite desvincular os locais de produção e consumo, gerando liberdade para a escolha de localização industrial mais adequada para usufruir vantagens geográficas.
c) Reduzir preços das mercadorias: Além de sua influência no aumento da competição no mercado, o transporte é um dos componentes de custo que, juntamente com os custos de produção, vendas e outros, compõe o custo agregado do produto.
Diante deste contexto, cabe salientar que a escolha de um modal de transporte está relacionada à criação de uma vantagem competitiva de serviço prestado ao cliente. Assim, no próximo subcapítulo, apresentam-se alguns dos principais modais utilizados no sistema logístico brasileiro.
5.2.3 As principais modalidades de transporte utilizadas no processo logístico brasileiro
Segundo Rodrigues (2005), um sistema de transportes é constituído pelo modo (via de transporte), pela forma (relacionamento entre os vários modos de transporte), pelo meio (elemento transportador) e pelas instalações complementares (terminais de carga).
Os principais modais utilizados para se efetuar um transporte podem ser:

Rodoviário
O transporte rodoviário é o mais expressivo no transporte de cargas no Brasil, atingindo praticamente todos os pontos do território nacional, pois desde a década de 50 com a implantação da indústria automobilística e a pavimentação das rodovias, esse modo se expandiu sendo hoje o modo mais procurado (RIBEIRO e FERREIRA, 2002).
Segundo Rodrigues (2005), explica-se a rápida ampliação da infra-estrutura rodoviária através do menor custo de implantação por quilômetro e menor prazo de maturação do que o correspondente na malha ferroviária. Dessa forma, neste mercado, se constituíram várias empresas transportadoras e proprietários individuais de caminhão.
O transporte rodoviário é um dos mais simples e eficientes, a carga é transportada por rodovias, em caminhões, carretas, etc., porém este modal apresenta um elevado consumo de combustível (tonelada de óleo diesel por quilômetro transportado). Este modal, por sua flexibilidade, é indicado para a distribuição interna, cujas transferências são de pequenas distâncias, além de conexões com os demais modais (RODRIGUES, 2005).
A seguir, no quadro abaixo, apresentam-se algumas vantagens e desvantagens do transporte rodoviário.
TRANSPORTE RODOVIÁRIO
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Maior disponibilidade de vias de acesso.
 Possibilita o serviço porta-a-porta.
 Embarques e partidas mais rápidos.
 Favorece os embarques de pequenos lotes.
 Facilidade de substituir o veículo em caso de quebra ou acidente.
 Maior rapidez de entrega.  Maior custo operacional e menor capacidade de carga.
 Nas épocas de safras provoca congestionamentos nas estradas.
 Desgasta prematuramente a infra-estrutura da malha rodoviária.
Quadro 3: Vantagens e Desvantagens do Transporte Rodoviário
Fonte: adaptado de Rodrigues (2005)

Ferroviário
No transporte ferroviário, a carga é transportada pelas ferrovias, em vagões fechados, plataformas, etc. Apesar de ter um custo fixo de implantação e manutenção elevado, apresenta grande eficiência energética. Como pressupõe-se a existência de trilhos, nem sempre é possível atingir até onde se deseja. Por suas características operacionais, oferece vantagens apenas quando há grande quantidade de carga a ser transportada a longas distâncias. A densidade do tráfego e a distância são fatores determinantes para a viabilização da ferrovia (RODRIGUES, 2005).
É utilizado principalmente no deslocamento de grandes tonelagens de produtos homogêneos, ao longo de distâncias relativamente longas. São transportados minérios (de ferro, de manganês), carvões minerais, derivados de petróleo e cereais em grãos, que são transportados a granel (RIBEIRO e FERREIRA, 2002).
Ballou (1995, 127) comenta que existem duas formas de serviço ferroviário, o transportador regular e o privado. “Um transportador regular presta serviços para qualquer usuário, sendo regulamentado em termos econômicos e de segurança pelo governo. Já o transportador privado pertence a um usuário particular, que o utiliza com exclusividade”.
Segundo Rodrigues (2005), cabe considerar que, na maioria das vezes, o tempo de viagem é irregular, em decorrência das demoras para a formação da composição, paradas no percurso, transferências de bitolas, congestionamento de linhas, etc.
Apresentam-se, no quadro abaixo, vantagens e desvantagens do transporte ferroviário.
TRANSPORTE FERROVIÁRIO
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Capacidade para transportar grandes lotes de mercadorias.
 Fretes baixos crescentes, de acordo com o volume transportado.
 Baixo consumo energético.
 Provê estoques em trânsito.  Tempo de viagem demorado.
 Custo elevado quando há necessidade de transbordos (transferência de carga de um modal para outro).
 Depende da disponibilidade de material rodante (vagões e locomotivas).
 Baixa flexibilidade de rotas.
 Alta exposição a furtos.
Quadro 4: Vantagens e Desvantagens do Transporte Ferroviário
Fonte: adaptado de Rodrigues (2005)

Hidroviário ou Fluvial
No transporte hidroviário a carga é transportada em embarcações, através de rios, lagos ou lagoas. Até recentemente, as vias naturais formadas pelas bacias hidrográficas brasileiras foram subutilizadas para o transporte de carga. Não se investiu na regularização de leitos de rios, na interligação de bacias ou na transposição de obstáculos naturais. Todas as obras de melhorias à navegação surgiram como subproduto da construção de usinas hidrelétricas (RODRIGUES, 2005).
Em países de grande extensão territorial como o Brasil, conforme Rodrigues (2005), o uso de hidrovias é fator fundamental para o processo de interiorização e posterior fixação da população, alargando as fronteiras agrícolas e minerais.
As vias fluviais disponíveis na natureza, muitas vezes, possuem quedas de nível bruscas e encachoeiradas, ou ainda, em razão de períodos cíclicos de cheias e estiagem, não oferecem condições navegáveis durante todo o ano. Assim, deve-se definir as rotas prioritárias para cargas, de forma a avaliar a necessidade de serem feitas obras para a correção e regularização dos leitos de rios e implantação de sistemas para a transposição dos desníveis existentes (RODRIGUES, 2005).
Alguns estudos desenvolvidos comprovam uma redução de custos de 35% no custo do transporte hidroviário sobre o rodoviário. Entretanto, em função das limitações impostas pelo curso dos rios, é necessário que a utilização de hidrovias seja integrada ao transporte multimodal.
A seguir, apresentam-se no quadro abaixo, algumas vantagens e desvantagens deste modal de transporte:
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO ou FLUVIAL
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Elevada capacidade de transporte, através de rebocadores e empurradores.
 Fretes mais baratos que nos modais rodoviário e ferroviário.
 Custos variáveis bem mais baixos.
 Faculta o uso da multimodalidade.  Baixa velocidade.
 Capacidade de transporte variável em função do nível das águas.
 Rotas fixas.
 Necessidade de elevados investimentos de regularização de alguns trechos de rios.
Quadro 5: Vantagens e Desvantagens do Transporte Hidroviário ou Fluvial
Fonte: adaptado de Rodrigues (2005)

Marítimo
No transporte marítimo a carga é transportada em embarcações pelos mares e oceanos. O transporte marítimo internacional abrangendo tanto os navios que oferecem serviços regulares quanto os de rotas irregulares é chamado de Longo Curso. Já a Cabotagem é o termo que define o transporte marítimo ao longo da costa brasileira, de Rio Grande a Manaus (RODRIGUES, 2005).
Rodrigues (2005) comenta que sistemas multimodais de transportes cruzando continentes foram implementados, levando as empresas de navegação a mudar foco dos seus negócios, do transporte porto-a-porto para transporte porta-a-porta, muitas vezes associadas a empresas logísticas de atuação global. Assim, o segmento de serviços regulares compreende o transporte de carga geral e de contêineres, correspondendo a 75% dos fretes internacionais, realizado por grandes empresas mundiais.
No quadro abaixo, apresentam-se as vantagens e desvantagens do modal marítimo:
TRANSPORTE MARÍTIMO
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Altíssima eficiência energética.
 Elevada economia de escala para grandes lotes a longa distância.  Pressupõe a existência de portos.
 Serviço lento e com grande número de manuseios, propiciando a ocorrência de avarias.
Quadro 6: Vantagens e Desvantagens do Transporte Marítimo
Fonte: adaptado de Rodrigues (2005)

Aéreo
No transporte aéreo a carga é transportada em aviões, através do espaço aéreo. É o modal mais rápido, mas o seu custo tende a ser elevado, pois se utiliza de equipamentos caros, instalações sofisticadas (aeroportos) e tem uma eficiência energética reduzida (RODRIGUES, 2005).
Segundo Rodrigues (2005, p. 97), o modal aéreo apresenta-se na forma de três diferentes tipos de serviço:
 Serviços Regulares: linhas nacionais ou internacionais para passageiros e cargas, com freqüência de saídas a períodos regulares e previamente anunciadas.
 Serviços Regionais: linhas nacionais de âmbito regional, para passageiros e cargas, atendendo cidades de médio e pequeno porte fora do eixo das capitais.
 Serviços Gerais: outros tipos de serviços aéreos, executados por aeronaves de pequeno porte, como: táxi aéreo, publicidade e propaganda, aerofotogrametria, pulverização sobre plantações, etc.
Considerando as restrições impostas pelos custos mais elevados, limitações no tamanho das unidades de volume e peso, além de outras particularidades, o modal aéreo, seja regular ou regional, apresenta uma tipicidade própria das cargas a ele direcionadas, como: gêneros alimentícios e outros bens perecíveis, animais e plantas vivos, equipamentos eletrônicos, bens de alto valor agregado, jóias, artigos de moda, etc. Dessa forma, nos casos em que a velocidade de entrega ou a segurança são os pontos mais importantes a serem considerados, superando qualquer comparativo de custos (RODRIGUES, 2005).
A seguir, no quadro abaixo, apresentam-se as vantagens e desvantagens do modal aéreo:
TRANSPORTE AÉREO
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Velocidade, eficiência e confiabilidade.
 Competitividade: a freqüência dos vôos permite altos giros de estoque.
 Manuseios altamente mecanizados.
 Atinge regiões inacessíveis para outros modais.  Menor capacidade em peso e volume das cargas.
 Não atende aos granéis.
 Custo de capital e fretes elevados.
 Fortes restrições à cargas perigosas.
Quadro 7: Vantagens e Desvantagens do Transporte Aéreo
Fonte: adaptado de Rodrigues (2005)

Dutoviário
A utilização do transporte dutoviário é ainda muito limitada, sendo destinado principalmente ao transporte de líquidos e gases em grandes volumes e materiais que podem ficar suspensos (petróleo bruto e derivados, minérios). A movimentação via dutos é bastante lenta, sendo contrabalançada pelo fato de que o transporte opera 24 horas por dia e sete dias da semana. Observa-se que os direitos de acesso, construção, requisitos para controle das estações e capacidade de bombeamento fazer com este tipo de transporte apresente o custo fixo mais elevado. Porém, seu custo variável é o mais baixo, nenhum custo com mão-de-obra de grande importância (RIBEIRO e FERREIRA, 2002).
Segundo o site da ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres (2008), transporte dutoviário pode ser dividido em:
 Oleodutos: os produtos transportados são, em sua grande maioria: petróleo, óleo combustível, gasolina, diesel, álcool, GLP, querosene e nafta, e outros.
 Gasodutos: o produto transportado é o gás natural. O Gasoduto Brasil-Bolívia (3150 km de extensão) é um dos maiores do mundo.
 Minerodutos: os produtos transportados são: sal-gema, minério de ferro e concetrado fosfático.
No quadro abaixo, apresentam-se as vantagens e desvantagens do modal dutoviário:
TRANSPORTE DUTOVIÁRIO
VANTAGENS DESVANTAGENS
 Confiável, pois existem poucas interrupções para causar variabilidade nos tempos.
 Os fatores meteorológicos não são significativos.
 Danos e perdas de produtos são baixos.  Lentidão na movimentação dos produtos, o que inviabiliza seu uso para o transporte de perecíveis.
Quadro 8: Vantagens e Desvantagens do Transporte Dutoviário
Fonte: adaptado de Ribeiro e Ferreira (2005)

A seguir, apresentam-se a síntese das entrevistas com profissionais de Logística.

6 SÍNTESE DAS “NOVAS ENTREVISTAS”
As entrevistas foram realizadas em uma empresa de logística, com a participação do profissional responsável e mais um funcionário. As perguntas aos profissionais foram focadas na questão do transporte. A seguir, apresentam-se as perguntas e a sua síntese destacando as principais idéias observadas na entrevista.

ENTREVISTA 1:
1. Qual o maior problema no transporte rodoviário nas estradas do Rio Grande do Sul e do Brasil?
Dentre vários problemas o que pode se destacar é a falta de sinalização e as péssimas condições das estradas.
Todas as duas podem gerar custos adicionais que não era esperado, tanto para uma empresa que se mantém no ramo dos transportes quanto para o empregado responsável pelo veículo.
2. Fale mais sobre os prejuízos relativos ao transporte para ambos, empresa e empregado:
A falta das placas de sinalizações, orientando aos motoristas, pode ocasionar multas originárias de fiscalizações eletrônicas.
As multas, em algumas empresas, há a política de que seus motoristas paguem o valor dela, em outros casos o valor é incorporado no valor final do produto transportado, encarecendo o lote e, conseqüentemente, os pontos na carteira do condutor.
3. Como uma empresa de logística no ramo de transportes calcula a valor a ser cobrado pelo transporte?
Isso varia de produto a produto, e também a distância a ser percorrida.
Pode-se cobrar por km dependendo do produto ou por porcentagem, tais como grãos (arroz, soja, etc.).
A porcentagem dos produtos agrícolas é baseada a partir do peso da mercadoria que varia, e cobrada, posteriormente, por quilo do produto no mercado.


ENTREVISTA 2:
1. O transporte agrega valor no preço final ao produto. Cite alguns:
Agrega valor no produto:
a) O combustível gasto.
b) Prejuízos no veículo transcorrido na viagem.
c) Multas.
d) Produtos estragados no decorrer da viagem.
e) Roubo de cargas, isso agrega valor nos lotes seguintes.
f) Desvio de material: sai com “x” quantidade e chega ao destino com “y” quantidade, agrega valor.
g) Diferencial de lucro para as empresas cujo ramo seja apenas do transporte. Geralmente, empresas grandes que não incorporem lucro no transporte, agrega valor apenas para a manutenção de sua frota.
2. O que gera prejuízo que não agrega valor no produto?
Sem dúvida a espera em pequenas empresas mal organizadas para a carga e descarga dos produtos.
Filas nos locais onde os produtos devem ser exportados, principalmente em portos, que hoje no Brasil muitos na sua grande maioria, não possui estrutura apropriada para escoamento de safras rurais.
3. O que se pode falar dos transportes ferroviários?
Bons, baratos, com maior capacidade de transporte, mas fora da realidade atual, falta de investimentos, assim como a hidroviária.
O transporte rodoviário hoje é um meio complicado de transportar as mercadorias, pois é caro, perigoso, poluente, mas ainda assim um meio indispensável e o que melhor atende hoje as principais necessidades de deslocamento de cargas.

7 ANÁLISE DO OBJETIVO/PROBLEMA
O transporte é uma das principais funções da logística e recebe o suporte de outras atividades como aquisição do produto, produção, embalagem, manuseio de materiais, armazenagem, controle de custos, etc. Além disso, o transporte é responsável pelo fluxo de matéria-prima e produto acabado entre todos os elos da cadeia logística.
Uma das premissas básicas do transporte é disponibilizar o produto certo, na hora certa, na quantidade certa, no local certo ao menor custo possível.
Neste sentido, o presente estudo teve como objetivo apresentar as principais modalidades de transporte utilizadas na área de logística no Brasil.
A realização de pesquisas bibliográficas, com base nas ações descritas no plano de ação, responderam a questão problema de pesquisa, e as informações obtidas a partir das entrevistas com profissionais da área complementaram o estudo, de forma a atingir o objetivo do Plano de Aprendizagem proposto na área de Logística.
A questão problema do estudo consistia em: “Quais as principais modalidades de transporte utilizadas na área de logística no Brasil?”.
As ações estabelecidas no plano de ação atuaram como um norteador para a construção de um referencial teórico, baseado nos principais autores e sites sobre transportes e logística, para responder tal questão. Dessa forma, o referencial teórico abordou:
 Breve histórico do transporte: para mostrar a introdução do uso dos modais de transporte e sua evolução no decorrer das necessidades do Homem.
 Conceito de logística, considerando o sistema de transporte como um diferencial agregando valor ao produto: organizar, planejar, armazenar e controlar o deslocamento do produto, desde a aquisição da matéria-prima até o consumidor final, utilizando-se de sistemática de transporte com qualidade, satisfazendo o cliente.
 Descrição da importância do transporte entre os fatores que influenciam o nível de competitividade da empresa: um melhor sistema de transportes contribui para aumentar a competitividade do mercado, garantir a economia de escala e reduzir o preço das mercadorias.
 Principais modalidades de transporte utilizadas no processo logístico brasileiro: apresentando os modais rodoviário, ferroviário, hidroviário ou fluvial, marítimo, aéreo e dutoviário, mostrando suas características, vantagens e desvantagens de utilização.
Quanto às entrevistas com os profissionais da área de logística, percebeu-se que tais profissionais são bens conscientes quanto aos principais problemas e dificuldades encontrados no processo logístico bem como demonstraram conhecer a importância do transporte no processo de agregar valor ao produto.
Durante o processo de pesquisa observou-se que os meios de transporte constituem juntamente com seus terminais rodoviários, ferroviários, portos, aeroportos e dutos, os principais elementos da infra-estrutura física dos sistemas logísticos. A adequação e conservação dessa infra-estrutura às necessidades de transporte de cargas e mercadorias são importantes para o excelente funcionamento da economia do País, das cidades e das localidades.
Neste sentido, observa-se no gráfico abaixo os principais modais de transporte utilizados nos processos logísticos brasileiros.


Gráfico 3: Estatística dos principais modais de transporte
Fonte: AET - 2001 / GEIPOT
(*) Inclui navegação interior, de cabotagem e de longo curso.

De acordo com o gráfico apresentado acima, as estatísticas referente aos modais de transporte no Brasil (2000) são:
1º) Rodoviário – 60,49%.
2º) Ferroviário – 20,86%.
3º) Aquaviário – 13,86%.
4º) Dutoviário – 4,46%.
5º) Aeroviário – 0,33%.
Considerando a relação do volume de cargas transportadas, as rodovias são responsáveis por 60,49% do total transportado, o que constata ser o Brasil um país onde predomina o transporte rodoviário.
Um outro ponto observado no decorrer da pesquisa sobre os modais de transporte refere-se a escolha do modal de transporte, pois deve-se considerar peso e volume, dimensão da carga, dimensão do veículo, grau de fragilidade e perecibilidade da carga, estado físico, assimetria, etc. Quanto ao desempenho dos modais existem diferenças relativos a custos fixos e variáveis, velocidade, disponibilidade, capacidade e confiabilidade. Acredita-se que a escolha pelo tipo de transporte de determinada carga está relacionado ao custo do transporte e a sua rapidez e segurança de entrega.
Cabe comentar que observou-se que uma das principais barreiras para o desenvolvimento da logística brasileira está relacionado às deficiências encontradas na infra-estrutura dos transportes. A infra-estrutra oferecida pelos setores públicos e privado também condicionam o uso dos modais, facilitando ou não sua integração.
Além disso, também cabe lembrar que o transporte é o maior fator de custo da cadeia logística e tem um importante papel na prestação de serviço ao cliente. Portanto, o transporte necessita ser avaliado e seus parâmetro observados para que as empresas não percam seu lucro ao final da cadeia. Os profissionais da área de logística devem estar preparados e qualificados para planejar, organizar e coordenar tais ações nas organizações.
Atualmente, o processo logístico de transporte é visto pelas empresas como um fator estratégico e que integra várias áreas, iniciando na aquisição de matéria-prima até a entrega ao consumidor final, sempre visando qualidade, preço e cumprimento dos prazos de entrega, satisfazendo o cliente.

8 CONCLUSÃO
No decorrer da disciplina Formação Profissional do Administrador tem-se a oportunidade de conhecer as áreas grandes áreas da Administração. O aluno, na sala de aula, através do contato com o professor, colegas e leitura de referenciais teóricos adquire conhecimento e identificação com determinadas áreas. Portanto, a realização do Projeto de Aprendizagem, focado na área de Logística e Operações, proporciona a conexão entre a teoria e a prática vivenciada pelo futuro profissional da área em estudo.
A possibilidade de estabelecer relações entre a teoria e a prática, de modo a compreender situações reais em uma empresa, através da realização de entrevistas com profissionais que atuam diretamente na área, e construção de referencial teórico, agrega tanto para o desenvolvimento profissional, como humano e pessoal do aluno.
Durante o desenvolvimento do Projeto de Aprendizagem, pode-se perceber que a teoria nos proporciona o embasamento dos conceitos das atividades, porém é buscando exemplos na realidade diária da área de atuação que se pretende seguir, que se complementa o aprendizado em sala de aula.
Alguns integrantes do grupo trabalham na área de logística ou tinham interesse em conhecer a área em termos da dinâmica de funcionamento. Além disso, alguns têm interesse em direcionar suas atividades profissionais futuras neste setor, sendo assim uma oportunidade de explorar conceitos, observar na prática a realidade da área, ter contato com profissionais e também esclarecer dúvidas referentes ao complexo e dinâmico sistema logístico das organizações.
Cabe comentar que outros trabalhos realizados anteriormente em sala de aula também proporcionaram ao aluno focar e visualizar as áreas de atuação da Administração, tendo uma prévia de como os profissionais podem atuar dentro dos diferentes campos administrativos existentes.
Conforme mencionado anteriormente, o desenvolvimento deste Projeto de Aprendizagem na área de Logística proporcionará aos integrantes do grupo o desenvolvimento de algumas competências, como:
 Capacidade de formular uma questão problema e respondê-la, através de um processo investigativo de pesquisa.
 Confrontar a questão teórica do assunto com a questão prática, estabelecendo uma visão crítica do tema em estudo.
 Capacidade de organizar e desenvolver trabalho em equipe.
 Cumprimento de cronograma e prazos de entrega de material entre os componentes do grupo.
 Elaboração e desenvolvimento de conceitos.
 Aplicações relacionadas a comunicação e relacionamento inter-pessoal.
Quanto ao aspecto mais relevante do tema pesquisado, tendo como foco de estudo o transporte, e que foi possível responder ao problema de pesquisa, com embasamentos teóricos e complementação prática das entrevistas, cabe salientar que a empresa, através de profissionais preparados e qualificados, deve atentar para o processo de logística como um todo, de forma integrada, pois sistemas logísticos eficientes e eficazes conduzem à premissa básica do transporte: o produto certo, no local certo, no tempo exato e na condição de menor custo possível, visando qualidade, preço, prazo e satisfação do cliente, mantendo-se de maneira competitiva no mercado. Assim, verifica-se que uma logística de transporte eficiente e que cumpra a premissa básica pode representar à empresa maior rentabilidade.




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ADMINISTRADORES. Portal sobre Administração. Disponível em: . Acesso: em 28 set. 2008.
BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 1993.
BRASIL PROFISSÕES. Portal de Profissões do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2008.
CANOAS. História. Canoas, out. 2008. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2008
CANOAS. Economia. Disponível em: . Acesso em: 01 dez. 2008.
FARIA, Sérgio Fraga Santos. Fragmentos da História do Transporte. São Paulo: Aduaneiras, 2000.
JORNAL VS. Jornal Vale dos Sinos. Caderno Classificados de Empregos. São Leopoldo, out. 2008.
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2008.
KEEDI, Samir; MENDONÇA, Paulo C. C. de. Transportes e Seguros no Comércio Exterior. 2a. ed. São Paulo: Aduaneiras, 2000.
LARRAÑAGA, Félix Alfredo. A Gestão Logística Global. São Paulo: Aduaneiras, 2003.
MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. ANTT – AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTES. Disponível em:
. Acesso em: 02 dez. 2008.
MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. Extinta Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes – GEIPOT. Disponível em:
. Acesso em: 02 dez. 2008
NOVAES, Antônio Galvão. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição: estratégia, operação e avaliação. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
OPORTUNIDADES de Trabalho na área de Logística. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2008
OPORTUNIDADES de Trabalho na área de Logística. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2008
OPORTUNIDADES de Trabalho na área de Logística. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2008
RIBEIRO, Priscilla Cristina Cabral. FERREIRA, Karine Araújo. Logística e Transportes: uma discussão sobre os modais de transporte e o panorama brasileiro. Encontro Nacional de Engenharia de Produção – ENEGEP, 2002, Curitiba, PR.
RODRIGUES, Paulo Roberto Ambrósio. Introdução aos Sistemas de Transporte no Brasil e à Logística Internacional. 3a. ed. rev. e ampl. São Paulo: Aduaneiras, 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes