Guarda Responsável

Guarda Responsável


Adotar um animalzinho, um cão ou um gato, muitas vezes é o resultado de uma ação instintiva, emocional, principalmente quando a escolha é feita entre os filhotes. São todos tão bonitinhos. Nesse momento as pessoas normalmente não pensam que os filhotes vão crescer, que terão necessidades e que devemos adequar e reorganizar alguns segmentos de nossa vida a este novo ser que passará a conviver conosco.



Vamos refletir um pouco sobre algumas questões importantes que devem ser levadas em conta antes de adotarmos um animal:

• Respeito pela longevidade natural: Ele tem um tempo natural de vida. Podemos e estamos dispostos a nos responsabilizar por um ser vivo durante os próximos doze, treze ou quatorze anos, aproximadamente? Não esqueça que abandonar um animal, em qualquer situação e por qualquer motivo, além de ser desumano e imoral, é crime conforme Decreto Federal nº 24.645 de 10/07/34 e Lei de Crimes Ambientais 9.605 de 12/02/98 que prevê penas de prisão e multa. Esse é um assunto muito sério, se não pretende ficar com o animal e tratá-lo bem, não o adote. Não esqueça que você também envelhece. Abandonar o animal por esse motivo é condená-lo a morte por tristeza e solidão. Tenha dignidade e respeito com ele. Pelos anos de convivência, ele merece.

• Antes de levar um animal para casa, assegure-se de que ele não será motivo de discórdia e brigas. O animal deve ser aceito por todos e representar alegria e união. Caso contrário todos sofrerão, principalmente ele.

• Alguém da família sofre de alergia? Se a resposta for afirmativa, cuidado. Procure orientação de um veterinário, ele poderá indicar as raças mais toleradas por pessoas alérgicas.

• Entre os adultos da casa, pelo menos um deve responsabilizar-se pelo trato animal (alimentação, higiene, saúde, exercícios, etc). Você não pode dar um animal para uma criança e esperar que ela tenha total responsabilidade sobre ele. Essa responsabilidade será fruto de um aprendizado. Não esqueça: o animal não é um brinquedo!

• Tome cuidado com a saúde psicológica do seu animal. Ele terá a companhia de outra pessoa ou animal durante o dia? Mantê-lo sozinho todos os dias não é uma boa idéia! Eles gostam e precisam de companhia. Dê-lhe amizade e afeto. Não o transforme em uma fera solitária amarrada no fundo do quintal. Converse com ele, seja seu amigo. Ele pode não entender todas as palavras que você pronuncia, mas sua voz, conversando com ele o deixará feliz e tranqüilo.

• Antes de levar um cão ou um gato para casa, pense em todas as situações. Se você e sua família costumam viajar constantemente e nessas viagens não é possível levar animais, será preciso alguém para tomar conta dele. Ele não pode ficar sozinho.

• O animal é um ser vivo, ele tem necessidades concretas de alimentação e saúde. Você e sua família estão preparados para isso? Alimentação regular (de preferência as rações industrializadas) e água fresca e limpa sempre à disposição. Quando ele adoecer, não o abandone, é aí que ele mais precisa de sua companhia e ajuda, leve-o ao veterinário. E lembre-se: abandonar um animal, além de imoral, é crime.

• Antes de adotar um animal, você deverá decidir se ele ficará dentro de casa ou na rua. Se a segunda opção for escolhida, não esqueça: nem pense em deixá-lo no tempo ou amarrado em correntes curtas no fundo do quintal, embaixo de uma árvore (esses procedimentos também configuram maus tratos conforme o Decreto Federal já citado, e Maus Tratos a animais é crime, além, obviamente, de ser desumano - e você não é desumano). O ideal é ter um pátio fechado, isso evitará que o seu animalzinho fique perambulando pelas ruas, exposto a doenças, atropelamentos, agressões e procriação indiscriminada. E tenha o cuidado de oferecer-lhe um abrigo confortável e limpo.

• O exercício é importante para o animal, principalmente se ele viver em apartamento. Leve-o para passear, mas atenção, na rua só com coleira e guia.

• Sempre que for passear com seu cão não esqueça de recolher os dejetos que ele deixa no caminho. É simples, higiênico e demonstra o seu grau de educação.

• Mesmo em casa, mantenha o seu animalzinho com uma plaqueta de identificação presa à coleira. No caso de extravio, ele terá mais chances de ser localizado.

• Se você não quer novas ninhadas, se não pretende fazer criação de cães ou gatos, castre seu animal. Colabore para a redução da super população de rua. A castração é um procedimento seguro e definitivo.

• Muito cuidado com adestradores que utilizam castigos físicos. Adestrar animais com maus tratos também é crime. Não permita que estranhos agridam seu animal. O aprendizado com agressão cria revolta e traumas irrecuperáveis. Se souber de alguém que utiliza esses métodos, denuncie.

• Se, por qualquer razão, não for possível manter o seu animal com você, não apele para a solução mais fácil do abandono. Não o descarte. Encare como um desafio e procure um novo dono para ele. Alguém que o trate bem e o ajude a superar a dor da separação (Sim! Ele sofre ao ser afastado do seu dono. Alguns, que são abandonados na rua, não comem mais, ficam esperando o dono voltar e, literalmente, morrem de solidão, de tristeza).

• Procure adotar animais de abrigos públicos e não use como critério o sexo ou a idade. Independente do sexo, o ideal é castrá-lo e, embora muitos não saibam, a adaptação do cão adulto é tão tranqüila como a do filhote. Os animais adultos abandonados têm uma ótima adaptação ao novo lar; ocorre uma mudança para melhor na vida deles e eles saberão demonstrar sua gratidão através da lealdade, obediência, fidelidade e carinho absolutos.

• Um último lembrete: todos os filhotes crescem, uns mais, outros menos. Se você mora em um apartamento ou sua casa não tem pátio, não leve um filhote que vai crescer muito. O animal precisa de liberdade, espaço, ar,movimento.

OBS: Só mais uma coisinha: O animal é um ser vivo, amigo, fiel, digno. Por tudo isso, o mínimo que você pode dedicar a ele é Respeito, e de quebra, experimente acrescentar afeto, amizade e amor nessa relação. Você será bem mais feliz!

"NÃO HÁ DIFERENÇAS FUNDAMENTAIS ENTRE O HOMEM E OS ANIMAIS NAS SUAS FACULDADES MENTAIS... OS ANIMAIS, COMO OS HOMENS, DEMONSTRAM SENTIR PRAZER, DOR, FELICIDADE E SOFRIMENTO"

Charles Darwin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes